REITOR DA UNIROVUMA ESCALA EXTENSÃO DO NIASSA E CRITICA FALTA DE COMUNICAÇÃO NA INSTITUIÇÃO

O Magnífico reitor da Universidade Rovuma escalou, desde a última Terça-feira, a Extensão do Niassa, no seu roteiro de visitas às unidades orgânicas da instituição, e criticou, de forma vigorosa, a falta de comunicação intrainstitucional, considerando-a “um mal” que atrasa alguns processos e mina o crescimento desta jovem universidade.
 
Falando numa reunião da direcção da UniRovuma – Extensão do Niassa, na última Quarta-feira, o Prof. Doutor Mário Jorge Brito dos Santos constatou que o desenvolvimento institucional está a ser retardado porque a interação entre os vários sectores é fraca ou inexistente, pedindo, de forma insistente, que este cenário seja invertido para o bem da instituição.
 
É nesse contexto que o reitor decidiu visitar as unidades orgânicas da UniRovuma por constatar que, de facto, abriu-se uma brecha comunicacional na instituição, tendo estado na Extensão de Cabo Delgado e no Instituto de Turismo, Transportes e Comunicação, em Nacala-Porto.
 
Aliás, nas anteriores unidades orgânicas visitadas pelo reitor a tónica dos encontros que realizou com as direcções, docentes e funcionários técnico-administrativos foi esta, o que o deixou irritado, pedindo que haja uma maior coordenação.
 
“Estamos a notar haver uma gritante descoordenação entre vocês, entre as direcções centrais e as extensões”, referiu Brito dos Santos. No mesmo tom, ele acrescentou que “alguns até demoram a despachar a documentação e quando se lhes é perguntado dizem que a mesma está na reitoria. Deixem de se esconder atrás da reitoria e trabalhem, trocando informações para resolverem os problemas da instituição”.
 
Por outro lado, a exiguidade de fundos recebidos pela UniRovuma do Orçamento Geral do Estado tem sido o “Calcanhar de Aquiles” para o pleno funcionamento da instituição, e o Prof. Brito dos Santos tem explicado, de forma didática, as causas disso, apontando a Covid-19, o conflito no norte de Cabo Delgado e a conjuntura económico-financeira internacional.
 
“Temos feito um enorme esforço para pormos a nossa universidade em funcionamento, por isso, até hoje não fechamos as portas e reiteramos, seguramente, que a saúde da nossa instituição é boa”, sublinhou o reitor da UniRovuma.
Para além do encontro com a direcção da Extensão do Niassa, o Magnífico reitor reuniu-se com os estudantes e funcionários do Corpo Técnico Administrativo (CTA), esperando-se que hoje (Quinta-feira) seja a vez dos docentes, visite as instalações do Campus Universitário e emposse quadros recém nomeados.

Imprimir   Email