brevemente

brevemente

VISÃO

A Universidade Rovuma pretende ser uma instituição de ensino superior de qualidade e excelência no processo de ensino e aprendizagem e nos serviços de pesquisa e extensão a nível nacional, regional e internacional.

MISSÃO

A Universidade Rovuma tem como missão formar técnicos superiores com qualidade de modo a que contribuam de forma criativa para um desenvolvimento económico sociocultural sustentável.

VALORES

Excelência Académica | Cultura Académica | Liberdade de Pensamento e de expressão | Autonomia | Internacionalização | Humanismo e Integridade | Igualdade e Equidade | Reforço da cidadania, do patriotismo, da consciência cívica e ética | Laicidade | Inserção comunitária | Inovação e criatividade

visualização: 453

A PARTIR DO PRÓXIMO ANO

A Universidade Rovuma (UniRovuma) vai introduzir, a partir do próximo ano lectivo, o regime de ensino à a distância no distrito de Chiúre, na província de Cabo Delgado, esperando-se, neste momento, que se defina o número de cursos a serem leccionados.

A garantia foi expressa, na última Terça-feira, naquela vila municipal, pela Vice-reitor da UniRovuma, Prof. Doutora Sarifa Fagilde, após ter visitado as quatro salas que vão acolher os possíveis cursos que serão ministrados no futuro Centro de Recursos de Chiúre.

As salas foram disponibilizadas pela Escola Secundária de Kuphe, nome tradicional dado a esta instituição de ensino que, traduzido para a língua local, o emakhuwa, significa “limpar”, pois a região em que a mesma foi construída era de influência do régulo Megama.

A Vice-reitora da UniRovuma explicou que as salas disponibilizadas, com a capacidade para 45 estudantes, oferecem condições mínimas de leccionação, faltando limar os últimos acertos para que essa pretensão se concretize.

Quanto aos cursos a serem ministrados, a Prof. Fagilde explicou que ainda não foram definidos, mas, por outro lado, é dado certo que o primeiro será o de Ensino Básico.

“A nossa Extensão de Cabo Delgado está a fazer um trabalho minucioso para definir os cursos e colher outras informações atinentes ao futuro Centro de Recursos e pensamos que até o final deste mês teremos essas informações detalhadas”, acrescentou a Vice-reitora da UniRovuma.

O governo distrital disponibilizou uma outra instalação, desta feita na Escola Secundária de Chiúre, antes pertencentes à Igreja Católica, mas o seu estado de degradação exige uma reabilitação apurada, avaliando-se, segundo a Administradora de Chiúre, Etelvina Fevereiro, entre cinco a seis milhões de meticais.

Numa avaliação preliminar feita, os custos para a reabilitação do imóvel estimavam-se em pouco mais de dois milhões de meticais, contudo, a Vice-reitora, depois de ver o actual estado da referida instalação, disse que “esse valor é pouco”, a avaliar pelo nível de degradação em que a mesma se encontra.

 

Estamos optimistas

A administradora de Chiúre, Etelvina Fevereiro, manifestou-se optimista em que a UniRovuma concretize a pretensão de instalar na vila-sede um Centro de Recursos, expressando o apoio do seu executivo para esse efeito.

“É nosso sonho que a partir do próximo ano tenhamos, aqui, o ensino superior, por isso, estamos dispostos a conceder o apoio que for necessário e que estiver ao nosso alcance”, disse Etelvina, acrescentando, em jeito de desabafo, que “nós merecemos; somos o maior círculo eleitoral desta província”.

Referindo-se a factos concretos do apoio do seu governo, a administradora apontou as instalações pertencentes à Igreja e os contactos que fez com a Escola Secundária de Kuphe para, numa primeira fase, disponibilizar salas para esse propósito.

“Estamos dispostos em apoiar financeiramente a reabilitação daquele imóvel; podemos fazê-lo de forma faseada, uma vez que esta pretensão encontrou-nos a meio do ano, mas no exercício financeiro do próximo ano podemos incluír no nosso orçamento fundos para a recuperação daquele imóvel”, explicou Etelvina Fevereiro.

“Sabemos que vai exigir de nós muita ginástica financeira, porém temos que concretizar este nosso sonho, que é o de todo povo deste distrito”, sublinhou a fonte.

Por outro lado, questionamos a Vice-reitora da UniRovuma se esta comparticiparia nas despesas, tendo em conta os custos avançados pela administradora, que, a prior, se afiguram reais, tendo a Prof. Sarifa Fagilde respondido positivamente.

“Temos que fazer muito esforço, a UniRovuma está disposta a colaborar na reabilitação daquele edifício e naquilo que for benéfico para nós”, precisou.

Vasco da Gama